No jogo da eleição presidencial, quem ganha não entrou em campoBlog do Noblat

Em resumo, o jogo da eleição presidencial deste ano está assim: só há em campo um único time, comandado por Jair Bolsonaro, que embora sem marcação, perde no momento, segundo o placar de todas as pesquisas de intenção de voto aplicadas até aqui.

Fora das quatro linhas, o time que ganha, liderado pelo veterano Lula, assiste ao jogo do adversário. O time da terceira via sequer entrou no estádio por não saber quem escalar – João Doria (PSDB), Simone Tebet (MDB) ou Eduardo Leite (PSDB)?

O ex-juiz Sérgio Moro (UNIÃO-BRASIL) ofereceu-se para jogar, mas foi barrado. Ciro Gomes (PDT) exercita-se distante do estádio, mas seu time não tem chances de sagrar-se campeão. Parte do 1º tempo do jogo está perto do fim e não empolga a torcida que vaia.

Se não faltar luz, se o jogo não for interrompido por obra e graça de forças ocultas, se ninguém mais se apresentar para desbancar o time que joga e o outro que apenas observa, o provável é que o juiz dê a partida por encerrada ainda no primeiro tempo.

Rogério Ceni, técnico mal sucedido de futebol, tem um plano para mudar o panorama da partida, mas só ele sabe qual, e não conta.